preloader

“Focar nos objetivos para não defraudar as expectativas”

Ibrahima Bamba em declarações na véspera de duelo na Camacha

Chegou a Guimarães há precisamente um ano mas a pandemia adiou-lhe os sonhos. Ibrahima Bamba, de apenas 18 anos, é hoje um dos titulares na equipa de Bino Maçães e admite estar a sentir-se “muito bem”.

Nasceu, a 22 de abril de 2002, na Costa do Marfim mas, acompanhado pelos pais, traçou um percurso europeu que teve início em Itália, tendo adotado aí a dupla nacionalidade. Seguiu-se França e uma estadia em Nantes, onde jogou no seu período de formação. Já sozinho, rumou a Portugal no final de 2019 e é em Guimarães, uma “cidade tranquila e muito segura”, que pretende mostrar todo o seu valor.

Da viagem europeia à estreia num voo nacional

Apresentada a viagem europeia, falemos de outra mais curta: o duelo na Madeira com o Camacha. A equipa B volta a competir para o Campeonato de Portugal este sábado, pelas 16 horas, numa sempre “difícil deslocação” à ilha, como explicou o médio. “Todos os jogos desta Série vão ser difíceis, mas a verdade é que, neste caso, além do jogo há uma rotina à qual não estamos habituados, como a viagem e tudo que isso envolve. Mas estamos confiantes porque temos trabalhado bem”, disse.

A fazer a sua estreia no Campeonato Portugal, tendo disputado os dois primeiros jogos desta época, Bamba já percebeu as suas características: “Este campeonato tem muitas equipas experientes e a nossa equipa é composta só por jovens. Nós vamos sempre procurar jogar bem à bola. Ganhar mas jogar bem e sabemos que nem todos os adversários pensam como nós. Há equipas que não querem saber de trocar bem a bola, que só querem chutar a bola para a frente e ter sorte num lance que possa dar golo”.

O exemplo de Ouattara

Atingiu a maioridade no passado mês de abril e reconhece que “estar na equipa B é uma tremenda responsabilidade porque sou muito novo ainda”. Consciente de que o percurso dependerá da sua prestação, o médio ganha otimismo quando percebe a aposta dos responsáveis vitorianos. Ouattara, a par de outros jogadores, é por isso um exemplo para Bamba. Um exemplo e um dos amigos mais próximos que tem no Vitória. “O Ouattara merece o que está a viver. É um exemplo para todos nós, também chegou aqui sozinho e nunca se colocou em bicos de pé. Tem feito o seu trajeto de forma humilde. Curiosamente, é uma das pessoas com quem mais estou. Eu vivo com o Jason e estamos muitas vezes com o Ouattara, que agora nos dá conselhos porque está com moral (risos)”, disse o jovem jogador que tem Rodri (Manchester City) e Eric Bailly (Manchester United) como ídolos.

O objetivo de corresponder às expectativas e o piscar de olho à seleção

Depois de um período de formação alternado entre os ensinamentos italianos e franceses, Bamba espera ter nota positiva no futebol português. A formação não terminou e a equipa B é uma “otima maneira de continuar a evoluir”. O jogador agradece a confiança mas também assume a responsabilidade: “Tenho de me focar naquilo que são os meus objetivos e não me desviar deles porque também sei que se há uma aposta em mim, ou nos jovens em geral, nós também temos de fazer por merecer. E eu confesso que não quero defraudar as expectativas, nem do Vitória, nem dos meus pais, que têm, também, o sonho de me ver representar a seleção”. Um sonho que o próprio gostaria de alcançar: “Nunca fui chamado mas estou com a esperança de, em breve, poder ser chamado para representar a Costa do Marfim nos Sub-21”.