preloader

“Senti que ajudei muito a equipa”

Antal Bencze comenta a última exibição

O último encontro dos Sub-23 não teve golos mas ofereceu momentos que merecem ser lembrados. Falamos, claro está, daquele que foi protagonizado por Antal Bencze. O guardião, que fez mais uma excelente exibição, brilhou ao defender três remates consecutivos no mesmo lance. Caro leitor, se ainda não viu, não perca mais tempo e aprecie. Para já, fique com a explicação do protagonista: “Não posso dizer que foi só mérito meu. Aquele tipo de lances também são uma mistura de sorte com trabalho. Estava no sítio certo a cada remate. Mas, nos treinos, costumamos fazer exercícios que nos obrigam a reagir de imediato aos remates seguidos dos colegas e isso deixa-me mais preparado para depois fazer em campo”.

A boa performance deixou o jogador, naturalmente, feliz. “Quando o jogo terminou, e apesar de não termos vencido, senti que tinha contribuído para a soma de pontos. E o que um jogador mais quer é sentir que ajudou a equipa. Na minha posição, o julgamento é muito fácil, a pressão é grande, e sentir que cumpri com o meu trabalho deixa-me muito satisfeito e motivado para treinar cada vez mais e melhor”, disse o húngaro.

“A equipa é muito jovem e tem uma enorme margem de crescimento”

Com apenas 18 anos, Antal Bencze, que cumpre a terceira época no Vitória SC, faz parte do conjunto de jovens que integraria o plantel de Sub-19. Mas desde a baliza à zona de ataque, são vários os atletas mais novos. No final da última partida, diante do Boavista, o onze vitoriano apresentava apenas um jogador sénior, o defesa Emir. Todos os outros (um com 16 anos, dois com 17 e sete com 18 anos) não terminaram ainda o seu percurso de formação, pelo que a equipa é “muito jovem e com uma enorme margem de crescimento”. “A nossa equipa deve ser das mais jovens da Liga Revelação e como é natural precisa de tempo para crescer e adquirir novos processos. Aliás, penso que estamos melhores hoje do que no início da época e a tendência é melhorarmos a cada jogo porque vamos funcionando melhor enquanto equipa. Há muita qualidade individual, pelo que acredito que conseguiremos evoluir na forma como jogamos e nos resultados, garantiu.

‘Bichinho’ da baliza surgiu em casa

Fã de Joe Hart, o nosso guardião assumiu as luvas como melhores amigas há já onze anos. E a paixão foi natural. Filho único, Antal Bencze herdou do pai o gosto pela baliza. “O meu ídolo é o Joe Hart, das exibições dele no Manchester City. Gosto dos movimentos dele, da confiança que ele transmite e acredito que seja muito forte mentalmente. Mas, antes de ter um ídolo, tinha uma referência que era o meu pai. Ele nunca jogou como profissional mas era o guarda-redes da equipa nos campeonatos mais amadores e foi assim que eu comecei a defender”, contou, reconhecendo ainda as “saudades” de casa: “Essa palavra, que não existe em inglês, é das que agora mais uso para falar da minha família e namorada. Sinto muitas saudades mas sinto o apoio deles todos os dias”.