preloader

Vitória foge no prolongamento

CP Esgueira 97 – 88 Vitória SC

A equipa sénior masculina de basquetebol viajou até Aveiro para defrontar a equipa do Esgueira, uma deslocação tradicionalmente difícil. O jogo começou equilibrado e mesmo com o Esgueira a fugir no marcador a certa altura, eram de apenas três pontos a diferença entre as equipas após o primeiro período. A equipa vitoriana entrou mais forte no segundo quarto e um parcial de 13 pontos transformou uma desvantagem numa liderança confortável no marcador. A equipa da casa reagiu e os vitorianos venciam por 6 pontos ao intervalo. Esperava-se um Esgueira a querer reagir, mas o terceiro período foi vitoriano que entram para o último parcial a vencer por 13 pontos. Último quarto onde o Esgueira dá tudo e recupera no marcador. Os últimos momentos do tempo regulamentar foram de muita emoção e equilíbrio com o Vitória a não conseguir alcançar a vitória, através de um lançamento de André Bessa e o encontro a seguir para prolongamento com um empate a 71 pontos. Jogo de parada e resposta levou o equilíbrio do primeiro prolongamento para os segundos finais a caber, desta vez, à equipa do Esgueira a possibilidade de vencer nos últimos segundos, mas sem sucesso. Um segundo período extra chega com as equipas já esgotadas e, no caso do Vitória com Bessa e Hopkins, os dois jogadores mais produtivos da equipa a serem excluídos da partida por falta, com o resultado empatado e a cerca de dois minutos e meio para jogar. A equipa ressentiu-se dessas ausências e o adversário aproveitou para desnivelar o resultado final de uma partida que teve o equilíbrio e a competitividade como nota dominante. Carlos Fechas lamenta as contrariedades que a equipa enfrentou, mas diz que a equipa devia ter estado melhor e lembra que a liga está cada vez mais competitiva: “Estivemos grande parte do jogo na liderança, mas não fomos capazes de fechar o jogo num quarto período onde limitados pelas faltas. Com várias lesões, a equipa chegou ao final no limite, fisicamente, o que se repercutiu nas decisões tomadas. Mas mesmo com essas condicionantes devíamos ter sido mais consistentes no último quarto. Cada jogo nesta liga até ao final será uma grande luta, com muitas equipas a reforçarem-se com novos atletas e a serem cada vez mais competitivas”.