preloader

Rochinha: “Foi um sentimento de justiça”

Extremo vitoriano foi eleito o MVP Cerveja Sagres frente ao Marítimo M.

Autor de um golo e uma assistência no triunfo do Vitória SC sobre o Marítimo M., a contar para jornada 9 da Liga Portugal bwin, Rochinha foi eleito, pelos adeptos vitorianos, o MVP Cerveja Sagres da referida partida, com o extremo a partilhar o que sentiu no momento em que colocou a bola no fundo das redes da baliza sul do D. Afonso Henriques. “Foi um final de muita emoção, tanto para nós como para quem estava a assistir ao jogo. Felizmente aquele golo apareceu e conseguimos sair com os três pontos que era o mais importante. Soube bem ver e sentir aquela emoção no Estádio, porque são momentos únicos que o Vitória merece passar. Foi um sentimento de justiça também, sentimos que o resultado nos poderia fugir da mão quando o Marítimo fez o golo, mas fomos atrás e conseguimos fazer o golo da vitória e foi muito importante para nós.”

O ponto alto da partida chegou aos 90+1’, com o golo ao cair do pano que ditou o triunfo vitoriano, mas que ficou marcado pelo momento caricato em que um dos painéis publicitários ficou danificado nos festejos, algo que Rochinha, com boa disposição, analisou. “Peço desculpa às Tintas Marilina porque foi um momento emotivo [risos]. Estávamos no meio de tanta emoção que chutei ali o painel e fiquei lá com a perna presa, depois embrulhamo-nos todos nele e vamos ter todos de ajudar para termos um novo [risos]. Foi um momento de grande emoção, todos sabíamos que íamos sair dali injustiçados e marcar aquele golo, mesmo ao cair do pano, foi resultado de todo o trabalho que fizemos ao longo dos 90 minutos.”

Foi com a braçadeira de capitão no braço que Rochinha fez o golo da vitória, algo que para o extremo é um motivo de grande orgulho. “É muito especial usar a braçadeira num clube tão grande como o Vitória. Como já disse no passado, a responsabilidade é a mesma da que tive até hoje, que é sempre ajudar ao máximo os meus colegas, mas ter a braçadeira deste clube significa muito para mim.”

Com quatro opções para as alas, a titularidade nos flancos ofensivos do Vitória tem variado, algo que para Rochinha, só enriquece e enfatiza a qualidade do plantel. “Quando entrei, o treinador pediu o que pede sempre, para meter criatividade no jogo, para tentar conseguir-nos meter na frente do resultado e conseguirmos a vitória, que é o mais importante para nós. Os golos e assistências são importantes para mim, individualmente, mas só prova a qualidade que o Vitória tem nas alas e para o treinador, é muito bom ter essa competitividade entre todos. Para ele só dificulta quem tem de escolher, mas é uma dor de cabeça boa e certamente que ele está feliz com o desempenho de todos.”

Quem também teve um papel preponderante neste triunfo foram os adeptos, que empurraram a equipa e deram o “vento a soprar nas costas” que Pepa tinha mencionado na antevisão à partida. “Agradeço aos adeptos não só por terem votado em mim, mas por todo o apoio que têm dado ao longo do ano e especialmente neste jogo. Têm sido muito importantes para mim e para a equipa e só tenho que agradecer. Apoiaram durante todo o jogo, mas a partir do momento em que o Alfa Semedo fez aquele grande remate, os adeptos apoiaram ainda mais e incendiaram o “Inferno Branco”. Quando senti que ele estava a preparar o remate, ainda tentei avisar para não chutar, mas quando vi a bola a ir, achei mesmo que ia ser golo e a partir daí, isso galvanizou-nos para ir atrás dos três pontos. Foi um momento muito importante no jogo.”

Sem tempo para parar, o Vitória já prepara o jogo da próxima quarta-feira, frente ao SL Benfica, a contar para a Allianz CUP, com o triunfo sobre os madeirenses e o ciclo de três vitórias consecutivas nas várias provas a servir de tónico para o que aí vem. “Aproximam-se jogos de decisão de outras competições, nas quais queremos continuar presentes. Já na quarta-feira, para a Taça da Liga, queremos encarar o jogo da melhor maneira pois queremos continuar presentes na competição e acho que estamos no bom caminho.”