preloader

“Senti-me um super-herói”

Eurichano marcou os dois golos do triunfo no dérbi

É caso para dizer: um golo nunca vem só. No primeiro dérbi de fim-de-semana, Eurichano vestiu a capa de super-herói e decidiu o duelo de Sub-19. O avançado marcou o primeiro e não demorou a bisar na partida. A emoção de estrear-se a marcar na presente temporada ganhou contornos indescritíveis quando percebeu que aquela seria uma tarde para não mais esquecer. E recordar será sempre um ato acompanhado de sorrisos. “A verdade é que senti-me realmente um bocadinho como um herói porque os meus golos é que deram os três pontos. Sei que estes jogos são especiais para as duas equipas e foi fantástico ter-me destacado. Os golos foram importantes para a equipa ter vencido porque estamos na reta final desta fase mas ainda nada está decidido e, por isso, foi ainda mais saboroso ter vencido”, começou por dizer.

A três jornadas do término da 1ª Fase, os Conquistadores lutam pelo apuramento à Fase Final. Ainda “muito feliz” pelas emoções do fim-de-semana, Eurichano não se embebeda de ilusões e remete o discurso para a responsabilidade de “continuar a ganhar”. “Esta série é muito competitiva e nós vamos disputar ainda alguns jogos decisivos, com equipas que lutam também pelo mesmo objetivo. Por isso, é importante não nos iludirmos e acharmos que já esta tudo ganho. Vem aí um jogo com o Feirense que vale os mesmos três pontos que o dérbi com o Braga”, lembrou.

A vontade de agarrar um dos quatro primeiros lugares é “enorme” e há vários fatores a justificá-la. Eurichano lembra um: “Queremos fazer diferente daquilo que tem acontecido nos últimos anos. Os Sub-19 já não se apuram há algum tempo e nós queremos realmente chegar à Fase Final. É um palco onde todos querem estar porque os jogadores ganham mais visibilidade, os jogos são mais disputados e intensos e é normal que qualquer jovem queira estar em fases de decisões”.

“Gosto de jogar de costas para a baliza”

As entrevistas aos jovens atletas apresentam uma pergunta recorrente: o nome do ídolo. As respostas também têm sido semelhantes até a fazermos a Eurichano. O avançado tem uma referência diferente e com a qual se identifica. “O meu ídolo é o Lukaku, porque tem características que eu gosto e me revejo, como jogar de costas para a baliza. Gosto de jogar assim, receber a bola e pausar o jogo”, auto-caracterizou. O avançado, que não está tão habituado a jogar a extremo, procura ainda o seu espaço na equipa mas entende que “não seja sempre opção”. “Eu sou muito novo ainda, este é o meu primeiro ano de Sub-19 e quem tem jogado já está no segundo. Mas sigo os conselhos do meu pai, que também foi jogador, e procuro ter paciência. Ele diz-me sempre para ser resiliente, para ter calma que o meu momento vai chegar”, disse.

“Além do futebol? A cozinha”

Não sabemos onde o destino o irá levar dentro das quatro linhas. Mas, a averiguar pela alegria e motivação com que fala da cozinha, poderíamos avançar que Eurichano tem também um plano B. A viver com a mãe em Famalicão, o jovem começou a dedicar-se aos tachos muito cedo mas, garante, fá-lo “com imenso gosto”. “Tive de aprender a cozinhar porque os horários do emprego da minha mãe não eram fáceis mas é algo que adoro fazer. A minha especialidade é strogonoff e até acho que tenho muito jeito. Além do futebol, é aquilo que mais gosto de fazer”, contou.