preloader

O preço da ineficácia

Vitória sai derrotado da Luz

Se há jogos em que um vislumbre sobre o resultado conta muito pouco sobre o seu curso, este é um deles. O Vitória saiu derrotado do terreno do SL Benfica e até por números contundentes (3-0), mas que pouco contam sobre aquilo que foi o encontro.

Foi castigadora a ineficácia dos Conquistadores e desde logo nas duas enormes oportunidades de que Oscar Estupiñan dispôs ainda na fase inicial da partida. Isolado na cara de Vlachodimos, o colombiano perdeu o 1×1 em ambas as ocasiões, assim desperdiçando a flagrante hipótese de dar ao Vitória a liderança do marcador.

Seria, porventura, um jogo totalmente diferente aquele que se seguiria, mas a verdade é que aquilo que os vimaranenses desperdiçaram, o Benfica castigou. Dois lances muito idênticos, a abrir no corredor direito para Gilberto e com Gonçalo Ramos e Darwin a surgirem, em ambos os momentos, com qualidade individual na definição.

A história do jogo passa muito por estes momentos, conferindo um 2-0 que no descanso não refletia 45 minutos em que o Vitória teve mais remates, mais cantos e, acima de tudo, as oportunidades mais claras.

Se este rumo já era castigador, pior ficou no recomeço, com um penálti que deu ao SL Benfica o 3-0 e fez com que os pontos parecessem sempre atribuídos, não obstante a reação e as flagrantes oportunidades de que Quaresma e Jorge Fernandes beneficiaram para reduzir distâncias.

Vlachodimos, novamente, revelou-se gigante entre os postes, impedindo o Vitória de entrar no marcador e de conferir ao encontro números mais consentâneos com aquilo que o jogo foi.