preloader

Pepa: “Queremos muito ter aqui o Inferno Branco”

Treinador vitoriano na abordagem ao jogo com o Sporting CP

O Vitória SC recebe o campeão nacional, Sporting CP, na partida a contar para a jornada 27 da Liga Portugal bwin, que se disputará este sábado, no D. Afonso Henriques. Em conferência de imprensa de antevisão ao jogo, o treinador vitoriano, Pepa, foi questionado sobre se esta é a melhor fase de forma da equipa que comanda. “Tivemos uma entrada muito forte no campeonato, com muito volume ofensivo, a dominar os jogos, a criar oportunidades. Agora temos este conforto, que surge já depois do jogo na Luz, em que a equipa se encontrou apesar de ter perdido. Já não podemos voltar atrás, este espírito de entrega não pode voltar atrás. Em oito jogos temos cinco finais em casa e queremos muito ter aqui o “Inferno Branco” nas bancadas. Dentro do campo, vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance. Mais do que pensar como podemos anular o Sporting, a única forma de conseguir desfrutar o jogo é com bola, é aí que temos de ser competentes. Não podemos ter medo de errar, temos de ter paciência e coragem.”

Instado a analisar o adversário de amanhã, Pepa elogiou a qualidade da equipa leonina, estando confiante na capacidade do Vitória em fazer mossa no conjunto orientado por Rúben Amorim. “O Sporting tem uma panóplia muito grande de soluções, outras nuances na construção. São nuances que trouxeram mais qualidade à equipa do Sporting. É uma equipa que consegue sair curto, como se conseguiu ver no jogo com o FC Porto, que ganha duelos individuais, que consegue esticar o jogo sem problemas porque tem qualidade no passe. Tem a largura sempre garantida, um bom jogo interior. É fácil identificar tantas coisas positivas, difícil é anulá-las. Sentimos que somos capazes de anular o melhor do Sporting e colocar em campo o nosso jogo, por que é isso que nos vai dar conforto. Temos de ser muito competentes com bola, roubar a bola ao Sporting, criar-lhes desconforto”.

O treinador vitoriano conseguiu repetir, na Madeira, o 11 inicial pela terceira vez seguida, algo inédito ao longo desta temporada, e a qualidade exibicional tem sido reflexo direto disso. “É importante manter o 11. Éramos das equipas que mais vezes trocava os jogadores, raramente não trocamos os jogadores. A baliza a zero é uma sequência. Não permitimos muitas oportunidades nos últimos dois jogos, esse é o caminho. Conseguimos com naturalidade, espero que possamos fazer isso outra vez. Depois das derrotas seguidas, não foi fácil. Foi muito importante ganhar os dois jogos, mas já está para trás. O futebol é isto. Tivemos uma volta olímpica contra o SC Braga e depois somámos derrotas. O que nós queremos é dar continuidade à estabilidade emocional, independentemente dos resultados”.