preloader

“Continuamos a lutar pelo apuramento”

Duarte Moreira mantem foco nos lugares de cima

Duarte Moreira é um dos novos rostos da academia vitoriana e cumpre o seu ano de estreia na Liga Revelação. Depois de uma recuperação fantástica na prova, os Sub-23 cederam na última jornada, mas a luta – já diz o povo – continua! Quem também o garante é o avançado que, sem se esconder, assumiu o “mau jogo” na última jornada, reforçando de seguida que a equipa terá “personalidade” para vencer já no próximo duelo. “A derrota foi pesada e doeu-nos, mas não pode apagar aquilo que temos vindo a fazer. Os resultados positivos que tivemos não foram fruto do acaso, foram conseguidos com muito esforço e qualidade e é no caminho das vitórias que queremos prosseguir”, atestou.

E é com a mesma qualidade, já evidenciada em vários jogos, que os vitorianos estão a preparar a receção ao Rio Ave, num jogo que será transmitido no Facebook Oficial do Vitória Sport Clube. Para o avançado, de 19 anos, “é importante que a equipa entre focada apenas naquele jogo”. “Aqueles 90 minutos é que contam. Não podemos pensar nos últimos. Penso que se entrarmos focados podemos chegar ao golo cedo e isso vai ajudar-nos”, afirmou, assumindo de seguida o objetivo da equipa: “Queremos ficar apurados para a fase final, queremos estar a disputar o título. Ainda é possível e enquanto assim for tudo faremos para conquistar esse nosso objetivo”.

Youth League no currículo

Natural de Gaia, Duarte Moreira fez todo o seu percurso na formação portista. O jovem ponta-de-lança chega ao futebol sénior depois de um ano positivo no último escalão mas nem sempre Duarte teve motivos para sorrir. Humilde, mas nunca resignado, o jogador viveu duas temporadas “menos boas”, que o levaram a algum desanimo. A história é contada na primeira pessoa: “Eu vivi algum tempo como suplente do Fábio Silva e isso levava a que eu não jogasse tanto como gostaria. Passei duas épocas difíceis, em que coloquei tudo em causa e fui-me abaixo. Valeu o apoio da minha família, dos meus amigos e da equipa técnica que, mesmo não sendo eu a primeira opção, sempre me apoiaram imenso. Na altura, também tive apoio da psicóloga do Clube, que foi fundamental. Aliás, fico satisfeito por ver a Psicologia ser agora vista com bons olhos nos clubes de futebol”.

Mas, e o ditado já é velho, depois da tempestade vem a bonança. O currículo de Duarte apresenta uma conquista que todos os jovens gostariam de somar: a Youth League. Em 2019, o avançado fez parte do grupo portista que alcançou tal feito. O único senão foi o frio da Rússia. “Eu só fiz dois jogos e um deles foi na Rússia. Nunca mais me vou esquecer do frio que senti. O que valeu foi o facto de as coisas estarem a correr bem e o grupo ser muito unido que nós tentávamos nem pensar no clima. Acho que a união e o espirito de entreajuda foi fundamental para termos vencido a Youth League”, contou.

O “desafio” de jogar de rei ao peito

Depois do troféu europeu, Duarte partia para a sua última época no futebol de formação e a bola voltou a ser a sua melhor amiga. Trinta jogos e 16 golos marcados numa época “muito mais positiva”, o mesmo positivismo que o acompanha na sua estreia de rei ao peito. “Tem sido uma experiência positiva, apesar de estarmos todos a viver uma fase diferente no futebol. Fui muito bem recebido e optei até por viver em Guimarães com mais dois colegas. As viagens diárias iriam desgastar-me e quero estar focado apenas no meu objetivo de singrar aqui no Vitória. Tenho jogado com regularidade e quero muito ser peça fundamental na equipa. Faltam-me os golos mas espero marcar já este sábado para também ficar ainda mais motivado porque um avançado precisa de golos”, concluiu.