preloader

Pepa: “Queremos voltar a ser iguais a nós próprios”

Treinador do Vitória SC em antevisão à partida com o Boavista FC

O Vitória SC encerra o ano de 2021 em casa, com a receção ao Boavista FC, a contar para a 16.ª jornada da Liga Portugal bwin, num encontro com história e tradição. O jogo desta quarta-feira ocorre 12 dias depois do desaire nos Açores, frente ao Santa Clara, com o treinador vitoriano, Pepa, a pretender regressar às boas exibições e à conquista dos três pontos. “Esse jogo já foi. É muito tempo à espera para jogarmos. Queríamos rapidamente ir para dentro do campo depois de um jogo mau, que está para trás, devidamente dissecado. Queremos muito ir para dentro de campo, para um jogo com rivalidade grande, um clássico atrevo-me a dizer. É fundamental voltar aos três pontos, mas mais do que isso queremos voltar a ter aquela alegria contagiante e volume ofensivo que temos mostrado. Queremos voltar a ser iguais a nós próprios, assumir a responsabilidade do jogo e a jogar bem. Vamos encontrar um Boavista que está na sua melhor fase, mas isso vale o que vale. O Santa Clara estava numa fase negativa e foi muito superior a nós. Mais do que avaliar o momento das outras equipas, o prioritário é estarmos ao nosso nível.”

De olhos postos no adversário orientado por Petit, que assumiu o comando dos boavisteiros há cerca de um mês, Pepa analisou o adversário e aquilo que a sua equipa terá de fazer para levar de vencida a equipa axadrezada. “É uma equipa que está a respirar confiança. Agressivos temos de ser todos, todos temos de ser competitivos, há caminhos para ganhar os jogos, não pode ser a todo o custo. O Boavista aumentou os índices de agressividade, consegue ter bola e passou a ser mais objetivo. É uma equipa coesa. Se estivermos iguais a nos próprios, quando conseguirmos ser mais constantes ao longo dos 90 minutos vai ser muito complicado jogar contra nós. Temos noção de que conseguimos fazer coisas muito boas em alguns períodos do jogo, mas há outros que são maus. Temos de trabalhar, insistir e melhorar alguns aspetos como esse. Temos de reagir em tudo o que está antes do jogo, no treino. Temos de ter capacidade de fazer o transfer do treino para o jogo. Vamos ter um jogo intenso, com um Boavista que tem uma linha de cinco bem trabalhada. Vamos ter capacidade de ter bola, ser agressivos e intensos. Trabalhamos muito bem, deu gosto. Temos o desafio de ter estabilidade, de não ter muitos momentos bons e outros maus. O nosso normal/bom permite-nos proporcionar grandes espetáculos.”

Marcus Edwards, Ricardo Quaresma, Gui e Sacko não poderão dar o contributo à sua equipa por motivos distintos, com Pepa a enfatizar a oportunidade para os jogadores que serão lançados nesta quarta-feira. “Todos fazem falta. Independentemente do nome que têm na camisola, o mais importante é o símbolo. Todos fazem falta, mas não é nenhum drama. O que o Ricardo e o Marcus podem acrescentar à equipa, outros vão agora acrescentar. Temos de saber lidar com isso com naturalidade. Temos esta pandemia e temos de saber lidar com ela. Vou ser coerente, o meu discurso é igual. O infortúnio de uns é a oportunidade para outros. A nossa cabeça está tranquila, porque todos trabalham bem e todos estão pontos. Todos nós gostamos de ter a equipa na máxima força, mas há soluções na equipa B e nos sub23, que treinam connosco muitas vezes, com as precauções devidas. Os casos vão aparecer, vemos isso com naturalidade. É uma pena, mas é o que é. Sentimos que temos a equipa preparada, isso é o mais importante”.

O Vitória SC recebe o Boavista FC no Estádio D. Afonso Henriques, nesta quarta-feira, 29 de dezembro, às 19 horas, a contar para a 16.ª jornada da Liga Portugal bwin.