preloader

Pepa: “Não temos tempo para errar”

Treinador vitoriano na antevisão ao jogo frente ao Belenenses SAD

Vindo de um triunfo caseiro na última jornada, o Vitória SC desloca-se ao Estádio do Jamor para defrontar o Belenenses SAD. Para o treinador vitoriano, Pepa, esta é uma oportunidade para a equipa continuar o bom rendimento da passada semana. “Espero continuidade. É um jogo que fica para a história mas de nada nos vale se não dermos continuidade a isto. Temos todos noção do crescimento que temos tido. É como os nossos filhos, que vão crescendo e andando. Temos andando numa luta tremenda pela regularidade. Temos de ter a tal atitude competitiva que revelamos no último jogo, para nós isso é a base de tudo. Se o conseguirmos fazer vamos estar muito mais próximos de ganhar o jogo. Sabemos da dificuldade que a B SAD está a atravessar, mas há sempre momentos de viragem. Temos três pontos em disputa e queremos dar continuidade e ao que fizemos, sem andar a montanha russa”.

Apesar de ocupar a última posição da tabela, para Pepa, a equipa orientada por Franklim Carvalho trará dificuldades para o Vitória SC. “Estamos preparados para tudo. Sabemos o que podemos encontrar, mas temos de nos agarrar ao que controlamos, colocar os níveis de intensidade no limite. Vamos estar muito fortes. Cada vez faltam menos jogos e não temos tempo para errar. O que aconteceu no último jogo foi bom demais para estarmos agora a desperdiçar isso. Já tivemos mais do que um exemplo de falta de atitude competitiva e não temos mais tempo para isso. Temos de revelar serenidade, atitude competitiva, isto é crescimento para todos nós. Podemos errar, falhar um golo, um passe, mas nunca podemos sair do jogo com a sensação de que podíamos ter feito mais. Já passamos por situações este ano em que isso aconteceu, agora queremos dar continuidade no tempo que falta. Gostaríamos de ganhar os jogos todos, isso é muito difícil, mas temos de ter sempre o pé na chapa”

O Vitória vê-se privado de quatro dos titulares na última partida, algo que para Pepa, apesar de ser algo atípico, é uma oportunidade para os jovens da equipa. “Tem acontecido com muita frequência, mas não podemos fazer nada. São oportunidades para outros. Daí a importância de durante a semana estarem todos preparados. Eu digo que isto vai dar para todos. Está a ser uma época muito atípica. Lembro-me de repetir o onze só por duas vezes. É difícil, não é o ideal, mas temos de olhar pelo lado positivo, pelas oportunidades que surgem para os jovens”.

O treinador vitoriano abordou, ainda, a suspensão de Miguel Maga. “Não me quero alongar muito. Concordo como o comunicado do clube. Há uma coisa que não consigo compreender. Há três elementos que podem escrever relatório, o árbitro, os delegados ao jogo e a polícia. Neste caso, houve uma queixa. Quando há uma queixa tem de se investigar, ouvir o jogador e procurar perceber o que se passou. Isto é a mesma coisa que alguém ser julgado sem ser ouvido para se defender. Castigar desta forma, além de me parecer ilegal, não consigo compreender. O Vitória tem de ser respeitado e no nosso entender não houve esse respeito. Além disso, penso que houve alguma ilegalidade, mas sou treinador e não advogado. Já falamos internamente com o jogador, mostramos o que pode e não pode fazer.”