preloader

André Amaro: “Está a ser a minha melhor época”

Central marcou o golo da vitória frente ao Boavista FC

O central André Amaro foi o herói do jogo frente ao Boavista FC, ao marcar o golo da vitória aos 90+3’, garantindo um justo triunfo sobre um rival histórico dos vitorianos. Para o jovem de 20 anos, este foi um jogo fora do normal, pelas várias incidências que a partida teve. “Foi um jogo que ficou muito marcado pela expulsão do jogador do Boavista, que se tornou algo atípico, principalmente na segunda parte, em que eles baixaram muito as linhas. Tivemos de ter muita paciência, foi difícil entrar no bloco deles, mas acabamos por vencer, com um espírito de equipa incrível, e o que fica no fim do jogo é que este grupo está cada vez mais forte, e acabamos por ganhar os três pontos que era o mais importante.”

O momento do golo da vitória é algo que vai ficar cravado na memória do Conquistador, que recorda toda a situação com sensações de extrema felicidade. “Já tinha subido à área antes umas três ou quatro vezes, e tinha tido uma oportunidade de golo antes, e estava a sentir, estava a sentir que tinha de ajudar a equipa, e estávamos mais, estávamos muitos na área e acabei por ser feliz e marcar o golo, podia ter sido outro qualquer. Foi um momento muito bom, muito feliz, agora já estou lúcido sobre o que aconteceu, mas continuam a faltar palavras para descrever o que aconteceu. É um momento que só vivido mesmo, por mim e pelos meus colegas. Foi fantástico ver a reação de todos os meus colegas quando foi golo, a correr, isso é o que fica nestes jogos, e é continuar com este espírito incrível.”

Ao alinhar frente ao Boavista FC, André Amaro ultrapassou a melhor marca de sempre desde que é profissional de futebol em número de jogos realizados. O central fez o 13.º jogo frente ao Boavista FC, passando o registo de 2020-21, onde fez 12 jogos na equipa principal do Vitória, naquela que está a ser a época de afirmação para o jovem central. “Sim, sinto que esta está a ser a minha melhor época aqui, a minha época de afirmação. Não só pelos números, pelos minutos, mas também pelo que a equipa está a conseguir fazer, por sermos uma das defesas menos batidas, é fruto de trabalho coletivo que a equipa tem. Concordo que está a ser a minha melhor época, mas não posso baixar os braços e quero continuar.”

Na partida do passado domingo, a defesa do Vitória acabou com Amaro e Mikel Villanueva no eixo, e com os extremos Nelson da Luz e Jota Silva nas laterais. Para o central, jogar com uma defesa a dois ou três centrais é algo com que a equipa está identificada. “É certo que mudamos o esquema para dois centrais, mas foi algo que trabalhamos também, algo que estamos prontos, e às vezes o jogo pede isso. A expulsão do jogador do Boavista tornou o jogo atípico e pediu-nos coisas diferentes, mas estamos perfeitamente identificados com as duas formas de jogar”.

No campeonato, só o SL Benfica e o FC Porto têm menos golos sofridos que o Vitória SC, com o Casa Pia a ter o mesmo registo defensivo dos vitorianos, algo que demonstra o trabalho coletivo que é feito em todos os momentos do jogo. “Esta solidez defensiva deve-se ao trabalho que vai desde o avançado até ao guarda-redes. Não é só o guarda-redes, os centrais ou os laterais. Somos todos. A nossa maneira de pressionar, a forma de sermos solidários uns com os outros, a nossa reação à perda, acho que tudo isso são ferramentas que nos fazem ser tão sólidos defensivamente esta época. Acho que é um trabalho coletivo”.

Por fim, o momento do festejo do golo foi um momento de grande união entre toda a equipa e os adeptos vitorianos, algo que André Amaro quer levar para o jogo da próxima segunda-feira, frente ao FC Famalicão. “Só podemos agradecer o apoio que nos têm dado, e queremos ter esse apoio frente ao Famalicão. Precisamos deles, eles são a nossa força e contamos como todos na próxima segunda-feira”.