fbpx
preloader

“Acredito que este grupo vai fazer história”

Álvaro Pacheco elogiou o plantel vitoriano e, antes de projetar o regresso da Taça de Portugal, garantiu que a meta do Vitória SC é somar mais três pontos no próximo jogo do campeonato

Depois do triunfo da 27.ª jornada da Liga Portugal, o quarto consecutivo, na receção ao Moreirense FC, Álvaro Pacheco explicou a mentalidade do grupo vitoriano que soma já 53 pontos: “aquilo que nós fazemos é trabalhar dia após dia, semana após semana, desafio atrás de desafio. No final vamos ver quantos pontos conseguimos somar”. Com a reta final do campeonato e as meias-finais da Taça de Portugal pela frente, o timoneiro recusa fazer projeções, mas não se poupou nos elogios à equipa. “Olhando para este plantel e principalmente para a mentalidade de campeões que todos têm, acredito que este grupo vai fazer história ao serviço deste clube”, disse.

Jota Silva: “A chamada à Seleção Nacional motivou o Jota, sem dúvida nenhuma. Foi um prémio pelo percurso dele, pelo trabalho que tem feito, pela evolução que demonstra e pelo que tem feito no futebol português. É também uma motivação para todos os jogadores do nosso plantel. Olhamos para este grupo e vemos muito potencial, muitos jogadores jovens com muito potencial para chegar à Seleção Nacional. E podem acalentar esse sonho. Não só no que diz respeito à seleção portuguesa, mas há outros jogadores que podem chegar às seleções dos seus países. E este foi um sinal de que é possível. Eles sabem que têm de se manter focados no clube, têm de se manter focados no processo e na ideia que temos e sabem que temos de continuar a crescer e evoluir. As coisas acontecem quando nós nos dedicamos, nos focamos e nos comprometemos com o dia-a-dia. É um prémio para o Jota e uma motivação para os meus jogadores”.

Kaio César: “Acho que o Kaio é um miúdo com muito potencial. É um menino com carisma e que tem aquilo que nós consideramos que é importante para ser jogador do Vitória. Tem uma disponibilidade muito grande para aprender, em morrer pela equipa e para perceber aquilo que é preciso para se afirmar num país diferente, numa cultura diferente, num futebol diferente e está a demonstrar que se está a adaptar com muito sucesso. Está a perceber o jogo muito bem. Está a perceber os timings e os momentos de forma progressiva e assertiva. Acho que isso é fundamental para a evolução dele. É um jogador muito interessante e com muito potencial. É importante não nos esquecermos de que há outros pormenores que são importantes na decisão que depois vai ser tomada sobre o futuro do Kaio. Na minha opinião, é um jogador que encaixa no perfil que procuramos: é um jogador jovem e com muita margem de progressão. Há uma grande capacidade evolutiva. Nota-se a diferença entre o Kaio que chegou e o Kaio de agora. Evoluiu. Estando a trabalhar connosco, integrado no nosso país e no nosso campeonato, quanto mais tempo tiver, mais preparado e melhor vai estar. É um jogador que eu acho que é fundamental”.

Metas: “Acho que ficamos mais perto do próximo desafio e, portanto, mais perto da próxima meta que queremos cumprir, que é alcançar 56 pontos. Portanto, para chegarmos aos 56 pontos na próxima jornada, hoje tínhamos de ser capazes de fazer um jogo como aquele que nós fizemos”.

O adversário: “Enfrentámos uma grande equipa, uma equipa que está a fazer um bom campeonato, que é muito forte defensivamente e que, por norma, tem uma ideia de jogo muito reativa no sentido de fechar muito bem as suas linhas, fechar muito bem os seus blocos, não permitir espaços ao adversário e depois sair sempre em transições, nas quais são muito eficazes. Nós sabíamos que tínhamos de fazer um jogo muito inteligente principalmente para não cairmos nas tais armadilhas de que eu falei na antevisão. A minha equipa foi muito inteligente. Nunca permitimos muitos contra-ataques ao Moreirense, nunca deixamos que entrassem na sua zona de conforto. Fomos sempre controlando o jogo para nos aproximarmos daquilo que queríamos, que era chegar ao golo. E chegámos ao golo de uma forma natural, madura e com muita personalidade. Quando estávamos a ganhar, sentimos que tínhamos de ser inteligentes. Estávamos a jogar contra um adversário direto e que, se não fossemos capazes de conseguir os três pontos, podíamos permitir que o Moreirense se aproximasse de nós. Sabíamos que a partir do momento em que estávamos a ganhar tínhamos de ser uma equipa inteligente, que não se expunha tanto, que fechasse os espaços. Não permitimos que o Moreirense criasse oportunidades e fomos gerindo o jogo da forma que pretendíamos. Conseguimos mais um objetivo”.

Taça de Portugal e campeonato: “Aquilo que nós queremos e o nosso foco é sermos campeões todos os dias e crescermos. Os nossos objetivos são pensados passo a passo. Hoje alcançamos um objetivo: fizemos 53 pontos. Penso que são os mesmos 53 pontos que o Vitória fez na época passada, mas agora o que queremos é descansar e estar focados no próximo jogo da Taça de Portugal. Queremos muito chegar à final. Na quarta-feira temos o primeiro jogo aqui em nossa casa e faço já o apelo. É muito importante que o estádio esteja cheio para criarmos um verdadeiro Inferno Branco para irmos à procura de um sonho que é de toda a família vitoriana. E depois, no fim-de-semana seguinte, vamos à procura dos 56 pontos”.

Um grupo que pode fazer história: “Para mim é um orgulho muito grande ser treinador deste grande clube e ser o comandante ou ser o líder deste grande grupo. Este é um grupo com mentalidade de campeão. Acho que todos nós, treinadores, para termos sucesso precisamos de encontrar grandes grupos, grandes jogadores e grandes homens. E eu tenho a felicidade de ter isso aqui. O que nós sabemos é que vivemos o dia-a-dia. Não gosto de projetar o que eu posso ter no final da época. Eu tenho de me focar no meu quotidiano e sei que hoje era importante chegarmos aos 53 pontos, que era o máximo a que podíamos chegar. Tínhamos de estar focados no nosso trabalho para sermos capazes de chegar a essa pontuação. O que eu sei agora é que, no próximo jogo do campeonato, quero chegar aos 56 pontos. Eu e os meus jogadores. Aquilo que nós fazemos é trabalhar dia após dia, semana após semana, desafio atrás de desafio. No final vamos ver quantos pontos conseguimos somar. No entanto, eu acredito – olhando para este grupo e principalmente para a mentalidade de campeões que eles têm – eu acredito que este grupo vai fazer história ao serviço deste clube”.